domingo, 31 de março de 2013

Triste Sertão


Galhos secos
sobre o terreiro
que o sertanejo deixou para trás.
Terra batida,
pálida
e sem vida
já não floresce mais.
Na casinha de barro
7 filhos mirrados
para ‘Seu’ José, coitado, criar!
No pasto
o gado desfalecendo
seco, querendo berrar.
Triste vida dessa gente
que a Deus temente
reza a Virgem prudente
para se salvar.

Renata Rabelo
Poetisa

Nenhum comentário:

Postar um comentário