sexta-feira, 26 de abril de 2013

Solidão


Escureceu,
e já não se vê mais o azul do céu
nem a clareza do sol.
Agora,
a chuva cai,
e escorregando pelo meio fio
a cada gota
grita o seu grito de liberdade:
- Chuá-chuá!
O vento forte
carrega árvores de um lado a outro,
e canta sem parar um canto de desespero.
Da janela do pequeno apartamento
o seu olhar ao longe
denuncia:
Ela só queria um amor
e um pouco de carinho.
Um abraço apertado
e um sussurro baixinho. 

Renata Rabelo
poetisa

Nenhum comentário:

Postar um comentário