domingo, 19 de maio de 2013

Dueto


O teu fogo
Eu apago com minha saliva.
Mato a minha sede
Bebendo-te até o último gole.
Delicio-me de ti,
Apertando as tuas curvas
E mordendo-te por inteira,
Agrado-me de tua carne.
Entrelaço meus dedos em teus fios,
E sem demora
Puxo-te para perto de mim.
Enquanto minha pele e pelos se arrastam em ti,
Sentimos aquele cheiro inconfundível de desejo no quarto,
Tendo o pudor ao chão, junto às nossas roupas.
Agora, cavalgando sobre a minha peça viril,
Agrido-te, sentindo as tuas coxas molhadas.
E então, deglutimos entre gemidos os nossos beijos.
Foi assim que o sabor salgado do suor de sua nuca,
Impregnou em meus lábios,
E também o teu batom que agora mancha meu corpo de prazer.
Sua língua molhada, por fim
Brincou com a minha libido
Enquanto meu sorriso de excitação entregava
O quão próximo do clímax estávamos.

Renata Rabelo e Carlos Pinto
Poetas e Libertinos

Acesse: http://bemymonster.wordpress.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário