quarta-feira, 10 de julho de 2013

Tortura

Hoje, sinto-me sufocada.
Por tuas palavras, desmoralizada.
Por teus beijos, nauseada.
Por teu toque, marcada.
Por teu sexo, torturada.
Hoje, sou apenas um ser
jogado ao chão ensanguentado,
Que lamenta o peso
de sofrer calado,
Amedrontado,
pela violência,
Que de tanto machucar o corpo,
Feriu a alma.

Renata Rabelo
Poetisa

terça-feira, 9 de julho de 2013

Amo em silêncio

Caminho pelo frio na escuridão,
Por entre folhas secas
caídas ao chão,
No sofrer da solidão
de quem ama,
Calado.

Renata Rabelo
Poetisa 

quarta-feira, 3 de julho de 2013

O que eu quero

Hoje eu só quero sossego,
No aconchego
Dos cheiros,
No dengo,
De um colo sedento.
Hoje eu quero o gozo do beijo,
No olhar transbordando em ternura,
No amor,
Do amante à procura,
Que não se segura,
Ama.

Renata Rabelo
Poetisa

Feito gata

Quando vi a tua barba
Pela estrada,
Deitei feito gata,
E como quem não quer nada
Arranhei-te com a minha pata,
E me esfreguei,
Dengosa,
Querendo colo.

Renata Rabelo
Poetisa

terça-feira, 2 de julho de 2013

Desse coração...

Hoje me apareceu um menino...
Falava estranhamente,
Em gírias contentes
Que eu mal sabia interpretar.
Ele ria da cara da gente,
E era tirado a valente
Quando queria se mostrar.
Eita menino abusado,
Foi só chegar do meu lado,
Para eu me render.
E num só sorriso,
Do teu riso,
Comecei a perceber...
Que o meu coração agarrado,
Aos teus braços,
Carregado,
Nesse seu compasso,
De menino levado,
Por caso,
Preso ao seu lado,
Apaixonou-se,
Jogado,
Ao passo
Recém dançando,
Do querer. 

Renata Rabelo
Poetisa

Coração menino

Foi-se o tempo,
Ficou-se atento,
E saiu correndo,
De encontro ao vento.
Nesse alento,
Recém-nascido,
Até então desconhecido
Pelo coração bandido,
Desse menino
Que em desatino,
Chorou.

Renata Rabelo
Poetisa